Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Descomplica...

Transporta as tuas energias para o que realmente importa.

Descomplica...

Transporta as tuas energias para o que realmente importa.

Abril 25, 2020

Joana Assunção

Dia da liberdade! Assim é conhecido o dia de hoje em Portugal. No dia 25 de Abril de 1974, o regime ditatorial foi destituído, iniciando-se uma nova era de democracia no nosso país. Um dia de revolução, um dia de liberdade, conquistado por jovens e destemidos militares e também pelo povo! Um dia que celebramos até hoje não só por respeito à coragem destes homens, como também pela liberdade que hoje vivemos e que me nos faz viver como cidadãos ativos na nossa sociedade, enquanto agentes de livre arbitro que somos! Não fossem estes homens corajosos e justos e não estaria neste momento a escrever este texto.

A mim este dia causa me uma nostalgia e uma felicidade que não sei explicar. Ao ouvir a épica música de Zeca Afonso, Grândola vila morena, sinto um arrepio que me eleva a alma! Sinto uma profunda admiração, respeito, gratidão e dever democrático perante todos aqueles que lutaram com a sua bravura para termos e sermos o que somos hoje. Sou Assistente Social e penso muitas vezes que se não fosse a democracia, hoje teria que lidar com a profissão que escolhi perante uma ideologia fascista, filantrópica e assistencialista que nada correspondem ao papel de um/a assistente social perante os cidadãos e a sociedade em si. Infelizmente não exerço e sinto-me muito triste e injustiçada perante esta situação e pelo rumo que a democracia tomou no nosso país (precariedade jovem laboral, sou da geração à rasca, mas isso são outros quinhentos), mas ainda assim vivo e sinto este dia com tal euforia como se daquela época tivesse feito parte.

Vamos esmiuçar o conceito: Perante a filosofia liberdade ou Libertatem (em latim) significa: “capacidade própria do ser humano de escolher de forma autónoma, segundo motivos definidos pela sua consciência”; Na política: “condição de autodeterminação de um povo ou de uma nação; estado do país que não está dependente de um poder estrangeiro”. Na Declaração Universal dos Direitos Humanos da ONU, no Artº19 a liberdade surge como um dos direitos fundamentais à vivência humana: “Todo o indivíduo tem direito à liberdade de opinião e de expressão, o que implica o direito de não ser inquietado pelas suas opiniões e o de procurar, receber e difundir, sem consideração de fronteiras, informações e ideias por qualquer meio de expressão.” (dre.pt). Mais do que um conceito, mais do que um verbo ou de um direito, a liberdade deve de ser encarada como algo inato à vida e condição humana. Devemos garantir que a nossa liberdade seja respeitada, assim como respeitar a liberdade dos outros indivíduos.

Parece contraditório falar de liberdade e de celebração neste dia, que, em um ano normal, seria comemorado nas ruas com a euforia do povo. Perante a situação que estamos a atravessar, muitos de nós sentem-se presos, impedidos de viver a sua vida e as suas rotinas, mas se pensarmos bem nunca foi tão urgente e de tão sentido falar de liberdade! Se a liberdade parte do pressuposto de respeitar os interesses de todos e de cada um, não vos parece que é isso mesmo que estamos a fazer? Quando tomámos a iniciativa de cumprimos o isolamento social e de respeitar o espaço dos outros em espaços comerciais por exemplo, é isso mesmo que estamos a fazer. Estamos a agir conforme os parâmetros básicos da liberdade, pois esta não é inata apenas a nós próprios. Para que possamos todos viver civicamente em sociedade, ao respeitarmos a liberdade do outro, estamos a respeitar a nossa também. Parece contraditório, mas no fundo não é. Reflitam sobre isto e chegarão ao meu raciocino. Mais que não seja para encararmos esta situação com um outro olhar.

Fica ainda aqui o link para a épica música do Zeca Afonso e um cartoon exclusivo da autoria de André Carrilho publicado no jornal Diário de Noticias, alusivo ao 25 de Abril, à pandemia e à esperança que necessitamos para acreditar que vamos ficar todos bem!

Mantenham-se fortes e corajosos tal e qual como há quarenta e seis anos atrás como os nossos capitães de Abril, os militares e o povo o foram! Por cada um de vós, por nós e por Portugal. Viva a democracia e a liberdade! Viva Portugal!

 

IMG_20200424_222438.png

https://youtu.be/gaLWqy4e7ls - Zeca Afonso, Grândola Vila Morena 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D